sábado, 12 de outubro de 2013

SOLIDÃO



Caminho há muito por prantos e desvario
Pergunto por este adormecido Inverno
Dancei, fui caminhante de mil estações
Fui odiado por maldosos corações

Hoje senti-me acompanhado de mim
Só, sou apenas o que chamam de tolo poeta
Nunca se aparta este lume de mim
Porque raio não chega esta trampa de vida ao fim?!

Este é o meu círculo de fogo e loucura
Cresci contente nesta melancolia
Cresci com medo de não poder ser
Sou crescido e descrente do crer

Não colhi frutos desta infância amachucada
Onde param os lamentos das andorinhas do Mar
Onde pára o chamamento que ouvia no chamar
Onde pára a estrela do meu navegar?

Despenharam-se meus sonhos em temerosa agonia
Nunca achei a breve incandescência da verdadeira verdade
Escarpas, medonhas tempestades, fulgor de um Sol antigo
Já nem me lembro do nome do meu último amigo

Deixaram-me no cabelo uma coroa de lata
Coroaram-me “O último dos homens sem preste”
Acenei com um lenço de água que gerou a minha mágoa
Acenei sem mão, sem intenção
Acenei para ninguém, perdi-me no nada

Uma vida tombada jaz sem sombra
Por mim passou um bando de gaivotas famintas
Este tempo ressoa
Um manto ardente esconde o rosto desta pessoa

Enobrece este coração com as criptomérias
Esta água de mágoa reverdeceu, na virgindade de uma oração
Neste território de ressonâncias não voltam as minhas crenças
Neste jardim me quedo preso á…Solidão…

7 comentários:

luna luna disse...

e na solidão te desvendastes, pedaços de ti que se aglomeraram por momentos como o canto de uma gaivota
beijinhos

MisteriosaMente A.A.A. disse...

Hoje vivo só...mas só não estou!
Abraço a natureza,enibrio-me com tanta beleza,
o céu azul,o passaro,o sol dourado,
o jardim abençoado á beira mar plantado...
...Hoje vivo só...mas só não estou!
Canto e trauteio a canção,
embalo nesta doce emoção,
digo não á morte e á dor vivida
e escrevo a poesia,pois,POESIA É VIDA!

A.A.A.

É preciso transpor os muros que nos aprisionam a alma Profeta Poeta... aqui deixo um beijo e pouso uma flor.

MisteriosaMente A.A.A.

luar perdido disse...

Da infância retém-se a distancia, da vida guardam-se as alegrias e bons momentos, e colam--se à pele as amarguras, os desencantos os sonhos perdidos, mas isso meu Amigo, isso é a VIDA! Tudo tem reverso, bom e mau, terno e duro...Na solidão encontra-se tantas vezes o caminho certo....
Beijo doce nesse coração de andorinha do mar, lagoa profunda, verdes umbrosos e misteriosos.

Paty Carvajal disse...

Eres una persona sensible y un poeta profundo. No importa si existen pasados malancólicos o ingratos en la vida de alguien, si ellos hicieron de esa persona lo que hoy eres... Un poeta del alma!!!

Un abrazo.

Rita Freitas disse...

Triste mas bela, esta solidão.

bjs

Celina Vasques disse...

belíssimo versejar meu poeta! meus aplausos! beijos ternos

Kátia disse...

Triste,sentido,profundo.
Parabéns!