sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

O FOGO E O FERRO

Está na hora de ser vento
Olhos de milhafre, asas no azul
Está no tempo do rubro das acácias
De um rumo de esperança a sul

Está na hora de ser ar puro
De dizer que sem palavras juro
Está no tempo da mansidão dos sonhos
Do sortilégio, do esconjuro

Por amor criei frutos de beleza imparável
Cada um tem a sina que tem
Cada um tem a força do amor presa às mãos
Os caminhos são sempre de alguém

Estou num pranto comedido
Este céu está tão perto da minha alma
Esta força, “meu deus”, esta incontida esperança
Esta dor que esmorece a chama

Gente sem rosto a bater palmas
No acaso lavrei esta peça sem nome
Nunca alguém saberá realmente o que sinto
Na verdade, alguém terá dito que minto

É noite, já adormeceram os milhafres
A Lua escondeu-se em desprezo
Nem uma estrela me iluminou o ver
Não quero ninguém no abraço, não sinto o querer ter

Amordacei as raivas
As humilhantes palavras numa caixa de cartão
Liberto todas as noites este amarrotado espirito
Tanta frieza tenho sentido em tanta mão

Tanta incompreensão, tanto virar de costas
Nada de ninguém mais quero, abandonei o espero
Consumi todas as crenças e esvaziei este coração tonto
Este corpo açoitado por…Fogo e Ferro…

11 comentários:

EU disse...

Um dia abri o blogue e dizia "Nenhuma postagem"; pensei que deixara a blogosfera, ainda bem que não...

"Está na hora", sim, é mais que tempo das palavras serem estandartes num momento em que grassa a descrença, em que a alma poética é ferida na sua integridade...

Lindo, amigo, bjinho :)

Janice Adja disse...

parabéns!!

quem és, que fazes aqui? disse...


Dois Poemas num Poema.

Moldagem do ferro... pelo fogo.

Beijo

Laura

Paola Vannucci disse...

Perfeito meu bom poeta, gosto do fogo para me aquecer, e do ferro para me ensinar, kkkkkkkkkkkkk

beijinhos

Paty Carvajal disse...

Ufff arrasador, es una sensación horrible... que todos alguna vez hemos sentido. Ojalá que se la lleve el viento de un mañana con esperanzas. Un abrazo amigo.

VERINHA TIBURSKI disse...

Olá Profeta.
Que palavras lindas, comoventes e de força em um poema.
Deixando meu carinho.
Um maravilhoso feriado, beijinhos.

Sónia M. disse...

Não, Profeta.
Nunca ninguém saberá o que realmente sente...
mas são os ventos que de si emanam que obrigam a que estas mãos (as minhas) sem rosto batam palmas...
Há pessoas com luz própria, que não precisam de estrelas para lhe iluminar o ver...

Deixo um beijo
Sónia

Ingrid disse...

tua intensidade encanta-me..
beijo Profeta..

Labirinto de Emoções disse...

Durantes uns tempos vi este blogue "nu" de palavras e fiquei com pena de não as poder ler, hoje regressei e sorri porque a poesia voltou..:-)
A Vida de facto é feita de ferro e fogo...resta mergulhar o ferro no fogo e molda-la a nosso jeito, tal como este poema foi feito.
Mais uma vez gostei muito!
Beijito

Labirinto de Emoções disse...

Durante uns tempos visitei o blogue e não encontrei palavras...hoje regressei e sorri porque de novo elas apareceram.:-)
A Vida de facto é feira de Ferro e Fogo, resta-nos mergulhar o ferro no fogo e molda-la a nosso jeito, tal como este poema foi feito.
Mais uma vez gostei muito!
Beijito

MEU DOCE AMOR disse...

Tal como.Já nada espero.