quarta-feira, 15 de maio de 2013

INSONDÁVEL


E as barreiras ruíram
Tenho no peito uma ilha escondida
E o amor de tão falso morreu à nascença
Tenho na alma uma fé incontida

A lonjura entre o coração e a maldição
Esta sensação de ser e não ser, um ser de papel pardo
Perdi-me na distância do crer e não crer
Senti-me sempre mais odiado que amado

Fui negro e branco, pena, penas, orvalho fresco
Fui Setembro, Sol, planta de sorriso azul
Fui caminhante, caminheiro da solidão
Fui ave de arribação para sul

O primeiro nome de uma mulher devia ser verdade
O primeiro amor de um homem não devia acabar mais
A primeira manhã de uma vida devia ser eterna
A minha primeira oração foi real e plena

Derramei sangue entre palavras
Magoei quem devia ser adorado
Rasguei grosseiramente um compromisso
Sou máscara de escárnio de um mal-amado

Sei lá quem sou!
Um forasteiro sem rumo ou poiso
Enquanto a memória escurece nos meus olhos
Perdi a melodia de uma voz, já não falo, não oiço

No êxodo deste instante renego a lembrança
Entre mim e as pessoas há um clamor de raiva e bondade
Até as estátuas sorriam zombeteiras
Deste louco sem destino ou idade

Neste inexplicável deserto de incertezas
Às vezes passo e colho um sorriso amável
Às vezes esta minha cabeça tonta
É universo sem estrelas…Insondável…

8 comentários:

Sinval Santos da Silveira disse...

Boa noite!
Fiquei deveras emocionado com teu texto.
Parabens pelo exelente trabalho.
Sinval

Ana Bailune disse...

Uma grande poesia!

http://odeclinardosonhos.blogspot.com disse...

Lindo, lindo!!!!
E deixa-me responder à tua dúvida: não sabes quem és? És a poesia na sua essência!!!!
bjs
anacosta

luar perdido disse...

Insondável é a alma do poeta, como insondáveis são as águas das lagoas, a profundidade do mar de cobalto eriçado de negra lava...Insondável é o mistério que sustenta o desabrochar de uma flor singela erguendo-se corajosa na densa neblina.
Belo, como sempre Profeta das ilhas encantadas.

Doce beijo de luar

TITA disse...

Eterna procura...Belíssimo momento de introspecção que me provocaste.Um abraço.

Mik disse...

Sempre fico encantada quando por aqui eu apareço!!
Sopros de luz!

lilian reinhardt disse...

Um tênue véu evola e o insondável humanamente
nos habita/peregrino de suas palavras/a dor marca
com fogo suas estrofes...alimenta-nos, guia-nos o incenso
de sua alma...

doce beijo

Alda Couto (Maria Catunto) disse...

Simplesmente emocionante em cada palavra sentida e que nos faz sentir e ver-nos nos próprios, versos partilhados....