terça-feira, 8 de abril de 2014

A NOITE DOS MEUS DIAS


São milhões de risos de escárnio
Despedaçando o peito da esperança
São folhas secas espalhadas na boca
É uma tempestade sem ter bonança

Por aqui nesta íngreme enseada de palavras
Alcanço o ardor da injusta e infligida dor
Por aqui um sino tocará cansado no tremor da tarde
Alcanço estas fundações de luz e reverbera o amor...

Foi a nove de abril às três de uma fria manhã
Que uma voz nasceu nestas águas
Um poeta pateta, pintor de saudades, necromante...?!
Cheguei aqui com a sede nos dedos e mil e uma mágoas

Onde estás...?!
Onde estou, estaremos...
Agarrados ao cicio a à aura dos segredos
Lembro-te das sextas, nas manhãs, confiemos...?!

Já lavei a alma das mais íntimas feridas
Hoje procurei o vento e a estação da luz
Na força de um ritual repeti teu nome sete vezes
Há uma árvore de frutos mordidos, uma fé que seduz

Um torpor e a respiração da terra
Um cheiro de solidão, um olhar no horizonte
Em que ilha descubro teus olhos
Onde te posso plantar ternura aos molhos?

Se falasse de ti
Diria teu nome em poema cheio de margaridas
Se dissesse teu nome e queria...
Diria que no encontro há uma gaivota que em mim sorria

E porque também nasci num dia qualquer
Peço-te pois que acredites se em Deus confias
No alto desta noite de chuva fina
Relembro...A Noite dos meus Dias...

4 comentários:

Anónimo disse...

louis vuitton uk outlet

Somebody essentially help to make seriously posts I'd state.

This is the first time I frequented your web page and up to
now? I surprised with the research you made to create this particular
post amazing. Fantastic job!

Ana Bailune disse...

Alguns poemas tocam devagar, lá no fundo da gente. E estes são os mais difíceis de comentar. Só posso dizer que achei lindo.

Vento disse...

parabéns Poeta, pelo teu dia!
se bem que, todos os dias são nossos dia, mas há um que sempre será especial, é aquele que lembra o momento da luz, aquele do bater do pé..., aquele do primeiro choro, da primeira refilice:
- cheguei! gosto deste sol, desta luz, destas águas e desta Ilha!

Feliz dia, hoje e sempre.
beijo.

Tita Bica disse...

Gosto sempre muito destes poemas