terça-feira, 14 de julho de 2015

ADEUS


Escrever um poema é como amar
Esta ilha, rapariga de verde madura
E fico aqui cuidando do azul do Mar
Fico no tempo que me prende a esta pedra fria e dura

Nasci e trouxe as cores
Com elas pintei caminhos de solidão
Nasci na calmaria de abril
Trouxe comigo a palavra, o verbo, contradições mil

Viajei num barco que navegou para longe da minha presença
Fiz uma paragem no país das flores eternas
Descansei num lugar de nome saudade
Imaginei um sitio para construir a minha inventada cidade

Sabem lá vocês o que trago dentro de mim!
Amaldiçoei muitas vezes as horas e os sonhos
Morri na procura dos poentes
Sobrevivi 7 vezes quando me lançaram amargos venenos

Sete vidas, sete paixões
Sete sortes, orações
Sete tempestades e uma contradição
E Tu, sim Tu! Para sempre presa ao meu coração

Poemas, pedras, álcool para a fogar
Um olho aberto, boca amputada
Abraços cavados na água escura
Uma procissão de gente vestida de alma dura

Pelas tardes da memória
Escutei os gemidos do sonho por encontrar
Cá por mim, o Mundo é uma moeda de lata
Cá por mim acho que o amor nem sempre é amar

Cá por mim ficava o resto da vida à tua espera
Nem que fosse sentado num ninho de pardal
Deixava que as estações me trocassem as voltas
E pintava um barco sem vela perdido no canal

Como já deu para ver, endoidei!
Tudo isto porque apanhei Sol a mais na moleira
E porque confundi virtudes e pecados meus
O melhor é acabar já este poema e dizer à pena...Adeus...

4 comentários:

MEU DOCE AMOR disse...

Vim ler.Que digas adeus à pena...pena de ter pena...

Não adeus à pena que te ajuda a libertar: a escrita.

Adorei

Beijinho doce

Claudete disse...

Quanto tempo...mas o que é o tempo quando a efemeridade vai diluindo horas, minutos, segundos sem sequer dar intervalos que nos permitam parar e respirar. ..O acaso me trouxe de volta ...eis-me aqui. ..a frequência pode ter mudado , mas extasia-me da mesma forma mergulhar na entranha dos teus versos . Abraços.

Manuela Miranda disse...

Palavras vagueadas pelo tempo pela emoção e pelo afecto foi uma viagem que eu fiz de barco ao som das ondas e da música e tinha como paisagem a Natureza e o Amor e a Beleza do poema Obrigada Victor por esta inspiração e beleza Abraço bjs

Manuela Miranda disse...

Palavras ao vento e belas e serenas com doçura e beleza fiz uma viagem de barco durante alguns minutos obrigada Amigo Gostei muito desta viagem deste momento e das imagens que vi. Tu escreves bem Abraço bjs