sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

SETE VIDAS DE MULHER


É no estio que as palavras ferem o coração
Lençóis de linho, mãos procurando
Escondi um punhado de versos para te cativar
Inventei uma mulher que espantosamente sabe amar

Engraçadinho...!
A liberdade é um bicho
Uma mulher é um bicho
Uma maçã não é um melão

Atoleimado...!
Mais valia ficares calado, dirão algumas
Depois de ler este poema virão milhões de risos
Misturados de sarcasmo, água e raízes

O poeta endoidou, estão felizes?
Escondam a cauda entre seus medos
Devorem o frio à dentada
Porque hoje isto não quer dizer quase nada

Ou quer...!?
Um homem não deve meter colher em mulher
Qualquer, circunscrita do amor
Há quem arranje uma e, seja o que Deus quiser

Pronto!
Foi um momento de humor rasca
Conversa remoída na tasca
Coleira e corrente, basta!

Eu hoje até senti vontade de escrever
Um poema magnifico
Tive vontade de procurar um abraço perdido
Vontade de te dizer amor, fazer contigo

De suspender as flores todas no céu
Desenhar uma nuvem de gaivotas
Meter na tua lembrança um sorriso breve
Abrir na minha alma para ti todas as portas

Estão a ver?!
O poeta já não troca o passo
Isto foi atirar letras e seja o que Deus quiser
Não falei de gatas, apenas das... SETE VIDAS DE MULHER

10 comentários:

lua prateada disse...

...hoje é dia de suspender todas as flores no céu....
Está lindo e, cada um que entenda como quiser...
Abracito meu lá da LUA

Cecilia disse...

Olá profeta!
Belas palavras colocadas, uma delas colo aqui.
Abrir na minha alma para ti todas as portas.
Estou de volta!
Abraços

EL AVE PEREGRINA disse...

Cando a vontade é boa sempre sole
chegar ó porto desexado.


Saudiños.

Elisabete disse...

Poema maravilhoso!
Bom fim de semana

Célia Rangel disse...

Um poema em que descreves a mulher por inteira...
Abraço.

helia disse...

Um Poema interessante !

helia disse...

Um Interessante Poema !

Pensamentos Com Asas disse...

Um poema agradável que condiz muito a uma mulher..Adorei!
Um ótimo domingo!

MEU DOCE AMOR disse...

Dizem que o sete é um algarismo perfeito.

Sete vidas... sete defeitos.

Beijinho doce

Graça Pires disse...

Um interessante poema em que as palavras dialogam com elas mesmas... Gostei.
Beijo.