quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

ENTRE DUAS MARGENS


A música percorre este corredor de silêncio
O mar mesmo ali ao lado parece adormecido
Assaltou-me um sorriso ao pensamento
Uma nota parou em meu peito e ficou comigo

Estou sentado virado para o mundo
As estrelas hoje não iluminaram a ilha
O vento percorre um caminho inverso ao meu
Este pano de cena fechou-se à maravilha

Um catraio inventou uma brincadeiral
Deixou voar um encarnado balão
Nele escreveu um desejo aos anjos
Vi-o perder-se no aceno de mão

Um disco riscado gira aos soluços
Ficou preso numa sofrida nota de violino
Ninguém deu por isso, neste apressado viver
Acho que apenas eu, vivo em desalinho

Acho que nunca achei a minha procura
Acho que às tantas nunca lá chegarei
Será que dentro de mim está tudo
O que ainda não enxerguei?

Alma essa, alma minha, sortilégio
Um bondoso deus assim quis
Que pintasse a loucura e a razão
Não sei se foi isso que fiz

Não sei, nunca soube porque foge a saudade
Porque permanece no peito, nunca morre
Porque a minha é imensa e incontida
Porque me arroxa alma no peito, explode...

...Tanta vez
Parti numa viagem para tanto além
Nunca tive espera em cada cais de chegada
Nunca parei a viagem também

Às vezes tenho vontade de fechar a porta ao sentir
De adormecer o pensamento e voar feliz
Às vezes solto os braços ao vento
Corro no mundo pelos olhos de um petiz

E olho o horizonte para lá do mar
Sei que me esperam mil viagens
No encontro e desencontro com o amor
Fico preso...Entre duas margens...

28 comentários:

viajantes disse...

Bonito poema Profeta.
Um Abraço!


A música percorre este corredor de silêncio
O mar mesmo ali ao lado parece adormecido
Assaltou-me um sorriso ao pensamento
Uma nota parou em meu peito e ficou comigo(...)
E olho o horizonte para lá do mar
Sei que me esperam mil viagens
No encontro e desencontro com o amor
Fico preso...Entre duas margens...

Isa disse...

Meu querido Amigo,meu Poeta,no
coração de cada um de nós podemos encontrar mistérios,sonhos por sonhar!
Beijo.
isa.

Sandrinha disse...

Muito lindo meu querido amigo... bjs

Ingrid disse...

Querido Profeta,
tuas margens são transbordantes e levam longe..
sempre amando passar aqui e te ler..
beijo

Let's disse...

E tudo q nos resta nesta viagem e nos entregar as tormentas de amar!
Adorei..mto seu poema...bjs

ღPat.ღ disse...

Fazia tempo que não lia um poema teu...

Sonhos, não!?

Beijos!

Lórah Claus disse...

em tudo nesta vida nos encontramos entre 2 margens, mas para encontrar o amor eu ousaria atravessar a nado, mesmo correndo o risco de me afogar, pq de vale a vida c eu não puder amar??

Eli disse...

Em cada margem nos distanciamos,
em cada palavra nos aproximamos.

:)

Catarina Vitória disse...

Mais um lindo poema!

Beijinho na tua alma

Eduarda disse...

Sempre os dois lados que nos percorrem, tentando alcançar a outra no olhar da criança que afinal sempre somos.

bj

SAM disse...

Doce Profeta,

Mais um belíssimo poema de fazer suspirar...

"Será que dentro de mim está tudo
O que ainda não enxerguei?"

Com certeza temos muito a enxergar, observar, perceber , compreender e aprender em nossa existência terrena.


Carinhoso beijo

♥ Pri - NSNL ♥ disse...

oieee vim deixar meus desejos de otimo fds! bjokas e lindissimo texto!

gaivota disse...

quando o mar adormece, as cordas dos violinos até se soltam e os arcos estilhaçam-se...
beijinhos

Aquarela disse...

ADOREI O POEMA...

Aquarela disse...

Adorei o Poema...

Aquarela disse...

Adorei o Poema...

Vanuza Pantaleão disse...

Profeta querido,
Saudade daquela estrela brilhante no nosso espaço...
Mas se não vás até lá, viremos aqui para sentarmo-nos às margens desse verde mar e apenas olharmos as gaivotas que passam.
Bom final de semana, meu sempre lembrado amigo!!!Bjsss

SILVIA disse...

Una vez más, un lujo inmenso leerte.
Besos mil!!!

E.R. disse...

Belo, belo!!!adorei o poema.
No amor nada é impossível.

Beijo.

Diana Carla disse...

Lindo poema...muito bom passar por aqui e se envolver em tão lindas palavras!!

bjinhus...

S L Sousa Mendes disse...

Querido Profeta.. escusado será dizer que amo o teu poema!...
"Sei que me esperam mil viagens
No encontro e desencontro com o amor
Fico preso...Entre duas margens..."
Todos nós temos as duas margens... ficamos indecisos,receosos e difícil se torna a opção...
No entanto.... "O vento percorre um caminho inverso ao meu
Este pano de cena fechou-se à maravilha" e "Às vezes solto os braços ao vento
Corro no mundo pelos olhos de um petiz"
Esse são os olhos do petiz que perdura em ti..o mesmo que "inventou uma brincadeira
Deixou voar um encarnado balão
Nele escreveu um desejo aos anjos"
Tu sabes que é a pureza do menino que sempre te acompanhará... assim como que "Alma essa, alma minha, sortilégio
Um bondoso deus assim quis
Que pintasse a loucura e a razão"
Aliás,"ENTRE O MAR E O CÉU, VIVE O PROFETA. ENTRE A LOUCURA E A RAZÃO, ENTRE O AZUL E O VERDE, ENTRE AMOR E A PAIXÃO, DUAS SIMPLES VERDADES AO FUNDO DE CADA CORAÇÃO."
A tua caminhada será sempre, citando alguém que me é querido
.... na viagem da vida o teu caminho seja sempre em azul Norte /Que todos os dias...sejam percorridos em verde sorte...
Bem-hajas partilhar algo tão belo e enriquecedor!
Um doce beijo no teu coração

Luz da Lua disse...

Querido Profeta,

Passei para matar a saudade depois de algum tempo , e deparei-me com a mais linda das mais lindas postagens tuas.
"Será que dentro de mim está tudo
O que ainda não enxerguei?"É maravilhoso este verso.Parabéns!Beijo grande.

Maria José Speglich disse...

Alô,alô.
Terra chamando.

Patrícia disse...

A futura revista "Intervenção" é o reflexo do pensamento de seis jovens indignados com o panorama da sociedade.
A revista parte de uma iniciativa que tem por objectivo uma crítica àquilo que vemos mas que nos passa completamente despercebido.
Desta revista surge um blogue "Realidade Paradoxal" : realparadoxal.blogspot.com
Gostaríamos que comentasse o nosso blogue e se acha que o nosso projecto é de facto interessante, que o divulgasse.

Desde já um muito obrigado

Vanda C. disse...

.agora/ que o sono se pendura nas pestanas e anda de baloiço nos meus olhos/ agora/ que as palavras respiram mais devagar e as costas esperguiçam a noite/ agora/ que quero sorrir ao dia de amanhã mas está escuro, ainda, e só as estrelas se acendem pirilampicamente a querer dizer bom dia, mas é noite/ agora/ que tempo será este que não há quente a derreter os sonhos e por momentos congelo todos os momentos/ agora/ é apenas hora de ir...de ir...de ir....mais tarde volto. não //agora//. V

Sonia Pallone disse...

De volta, encontro a antiga e necessária poesia, sua identidade carimbada, seu carisma
invulgar...Bjs.

Fabiana Oliveira disse...

isso é simplesmente maravilhoso!
adorei te blog!
e os teus poemas
beijinhos colloridos anjo

S L Sousa Mendes disse...

Regressei...
Sinto-me perdida e atordoada... assoberbada de pesadelos, de insegurança e angustia..
como que presa "Entre Duas Margens"!..
Vem, querido Profeta, ajuda-me!
Tu, que, entre o mar e o céu habitas, entre a loucura e a razão, entre o azul e o verde...
Também eu me interrogo... "Será que dentro de mim está tudo
O que ainda não enxerguei?"..
Esperando, deixo um beijo no teu coração...