sexta-feira, 25 de março de 2016

COMO CHEGASTE À MINHA ALMA


Tu apareceste, a noite encheu-se
Plena mulher, lua ardente
Percorro o teu pequeno infinito
Nesta viagem de coração sedento

Vivi numa guerra de palavras
Senti a dor no rasgar de todas as madrugadas
Cantei canções de estranha melodia
Transformei raivas em esperanças

Levo o querer à voz cansada
Numa carícia sem sede
Vou pensando no céu e no mar sem Deus
Vou tremendo escrever o poema depois

E escrevo para ti
Na fronteira perdida da noite
Invento golfinhos de chapéu de coco sorridentes
Gaivotas azuis invisíveis

Com os olhos presos ao sonho
Os tumultos e a dor não estão comigo
Este meu espírito alucinado sugere-me
Que és pássaro, terra, lava ardente

No centro do meu sentir
Beberei o mar
Alimentarei a tempestade
Voarei para te amar

Vou rasgar velas
Abrir à luz todas as janelas
Vou ser aprendiz de feiticeiro
Fazer-te um doce sortilégio

Vou esmagar estes dias insulares
Encher a mesa de pão e vinho
Vou rezar ao ouvido de Deus
Para que te ponha no meu caminho

Sabes?!
Tudo o que se move e pode sentir
Às vezes acende no peito uma rubra chama
Tal...COMO CHEGASTE À MINHA ALMA...

6 comentários:

Sophysticada disse...

Lindoooooo


Boa Páscoa Kerido!

Bjooo

{W_[amar yasmine]} disse...

Lindo demais... me tirou a respiração.
Beijos doces e uma Páscoa maravilhosa!

{W_[amar yasmine]}

Ambra disse...

Bellissima immagine.
Un grande augurio di Buona Pasqua.

rosa-branca disse...

Ás vezes é difícil chegar à alma de alguém. Pode-se estar tão perto... e tão longe. Maravilhoso poema que adorei. Boa Páscoa e beijos com carinho

bea disse...

Bonito poema. Também já rezei ao ouvido de Deus. Mas, ou não era o ouvido (isto de se ser incorpóreo é uma chatice a gente nunca tem certezas), ou Deus é surdo.

sonhosdesencontrados disse...

Magnífico!