sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

VIOLANDO O PENSAMENTO


A palavra que devasta o coração
Uma gaivota repentina voando rindo
Apenas porque expludo sorrindo
Como o vento digo a verdade mentindo
Eu sou amor!
Um punhado de amor esperando o despertar
Eu sou pedra no terror da solidão
Sou aquele que diz saber amar
Um suspiro definitivo da oração
“Um poeta também tem coração”
Num lugar qualquer
No recorte dos lábios de uma mulher
Numa guerra de quereres sem sorrisos
Apertando o instinto crispado
Ás vezes feliz, outras mal amado
Se és mulher?
Se Deus assim quer
Que sejas tudo ou nada
“Porque uma mulher imensa dentro de um homem nunca se apaga”
Apenas porque nesta desatinada poesia varri a cabeça por um momento
Pensei em ti...violando o pensamento...


1 comentário:

luar perdido disse...

Parabéns pela foto, Poeta, estás muitíssimo bem! Gosto imenso.

Há sim, palavras que devastam o coração. Há "punhados de amor esperando o despertar", na volta de cada palavra amordaçada no fundo da alma. Se violares um pensamento sabes que tens um compromisso para com ele? Sabes, claro que sabes; um Poeta sabe sempre onde toca a alma, onde beija o coração, onde coloca a mão que aninha o amor. Sabes, claro que sabes; um Poeta conhece cada lágrima, cada sorriso, cada silêncio e cada suspiro do vento.

Só posso desejar que essa mulher imensa nunca se apague de dentro de ti, para que continues o teu voo de gaivota, dessa forma bonita e plena. Permite-me: feliz a mulher que te habita.

Para mim tenho que não violaste nenhum pensamento, apenas abriste a alma e deixaste o sonho entrar...

Beijo de luar