sexta-feira, 30 de março de 2018

A DISTÂNCIA QUE O AMOR CONSAGROU




Uma rosa pode mudar uma vida
No naufrágio da voz errante
Segui um luar na sua volta completa
No canto aos deuses da madrugada
Tens um corpo de rumores
Andorinha do mar
Tens nos olhos o canto da maresias
No adejar dos dedos o verbo amar
Ardem azuis as sombras da saudade
Pelo amor se retoma á ilha
Pelo destino se inventa uma cidade
Para ti...
Ouvi as pedras
No crepitar melódico das ausências
Ouvi em ti revoadas de pássaros cantando
Sonhei contigo
Lugares imanado uma nova existência
E senti presságios e sonhos amando
No cântico das crianças
No regresso de infindáveis agitações
Dois corações
No orvalho que a manhã deixou
Neste caminho que marca
A Distância Que o Amor Consagrou...









3 comentários:

Larissa Santos disse...

Independentemente da publicação, que gostei:
O Brincando com as palavras DESEJA-VOS: UMA SANTA E FELIZ PÁSCOA, EXTENSIVO AOS VOSSOS FAMILIARES E AMIGOS.
.
Bjos com carinho e estima.

Célia Rangel disse...

Essa distância, na dosagem certa, com certeza são bons presságios. Pois saudade se sente quando se ama.
Feliz Páscoa!
Abraço.

luar perdido disse...

Quando se ama de verdade, a saudade aperta como tenazes, o coração.
Quando se gosta, no silêncio de um coração, a saudade magoa como ferro em brasa que trespassa a alma.

Poderá a distancia consagrar um amor? Como se ama na distancia?
Beijo de luar